sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

A Voz!


Escravo do desejo, ele continua a sua busca pelo que é incerto.
Vagando entre os caminhos gelados,
depende unicamente do sentido para sobreviver

Seu coração faz com que seu corpo continue aquecido em meio a imensidão branca.
Será mesmo que tem neve envolta dele?
Ou é apenas a visão turva de quem não consegue enchegar o verde?
Não se sabe ao certo.

De repente, após parar pra descansar, uma voz o indaga
"- O que fazes por estas terras geladas?"
Ele responde sem medo.
"- Procuro resposta."
A voz volta a indagar:
O que o pertuba tanto para vir tão longe procurar algo tão simples?
Ele suspira, pensa um pouco e responde:
".........O sentido, daquilo que um dia chamei de vida."
A Voz continua:
"Te dei a vida, até quando vai desperdiça-la?"

Um comentário: